Sidão e a gafe da Globo - Mundo Nescau...
13/05/2019 18:28 em Novidades


O "caso" Sidão teria de passar por muitas análises sérias. Mas, como tudo neste nosso mundo atual, ficará reduzido a três ou quatro linhas no máximo. Certamente que um dos motivos de ter acontecido o que aconteceu é exatamente esse. O imediatismo. A Globo entrou na brincadeira da 'interatividade' tentando envolver (engajar?) sua nova audiência. Sim. Nova audiência. Pelo menos duas novas gerações estão aí no mercado. E os veículos de comunicação - especialmente as emissoras de televisão, na "sofrência" pra entender essa galera e conseguir captar a atenção da mesma. E ainda mais para conquistar retenção (engajamento?) dessa massa de consumidores, clientes, ou que nome queiram dar...

O fato é que o evento poderia ter sido evitado no início da brincadeira da votação on line (não ontem, no caso Sidão, mas na concepção da enquete). A Globo nem tem desculpa que não sabia ou não poderia prever a ocorrência de ontem, pois já havia experimentado um pouco da jocosidade popular quando o jogado Kudela - sim, - cú dela - foi eleito o melhor em campo. Evidente que não foi o Kudela o melhor na ocasião. Galvão Bueno, o narrador do evento, tentava, constrangido, ainda que se divertindo um pouco com a situação, mudar o nome do sujeito, para evitar a coincidência sonora com o baixo calão.

Sidão ganha perto de 200 mil mensais como goleiro de primeira divisão. Acho que a resiliência tem de ser mais consistente em profissionais desse calibre. Ainda que tenha sido constrangido pela 'brincadeira' de mal gosto conduzida e finalizada pela Globo. Ainda que Sidão esteja pagando um preço da própria verborragia impensada. Sim, pois ele também parece sofrer da síndrome do imediatismo, dizendo algumas palavras mal pensadas em entrevistas profissionais (por isso, foi alijado do São Paulo FC - entre outras questões, também o foi do Goiás, onde começou esta temporada de 2019). Ontem, aparentemente escaldado, ficou em silêncio, por reconhecer a própria péssima atuação em campo, por estar chateado, ou pelo media trainning ou orientação psicológica já ter dado resultado.

Já os diretores da Globo deveriam ter a mesma velocidade da Internet e tomar decisões instantâneas. Talvez até tenham feito isso e adotado o caminho de manter o resultado até o fim. Erraram. Mas, como eu disse no início, a exigência de respostas imediatas e decisões com menos de três linhas, causam danos. Às vezes, irreparáveis.

Aparentemente, o evento de ontem, o caso Sidão, causou alguma coisa boa: um posicionamento digno da Tv Globo ao se desculpar ao vivo e em vários programas da sua grade e na decisão de mudar as regras da brincadeira, enfim.

Causou também possibilidades de reflexão mais aprofundada para muitos. E também possibilitou a constatação de como existem pessoas rasas nas questões morais e interpretação de situações de vida.

Alguns acusaram o 'povo que elegeu o Bolsonaro' como responsável da bobagem da votação de ontem. Outros, acusando a falta de educação e desequilíbrio do povo da esquerda, que acha que pode tudo. Olha aí.. e eu achava que iria demorar pra misturarem política nessa prosa e causo Sidão.

Temos conclusão? Sim. Se chegou até aqui no texto (agora um texto de 4 ou 5 parágrafos é chamado de textão...rs). Que é preciso entender melhor o que se passa no mundo e para isso é preciso estudar, ler mais - fontes boas, sempre com duas visões do mesmo tema, no mínimo, conversar mais. Ouvir mais. E ouvir fontes melhores de informação e experiência. Alguém que tenha mais do que três ou quatro linhas pra explicar o universo já será um bom começo. Depende de você.

Ah, pra finalizar, brincadeiras têm graça, sim. Isso se elas forem engraçadas para quem esta sendo zoado (normalmente não é...).

E nada de força Sidão na hash tag. Vou de ...

#forçaBira !

Tô precisando de uns trocados na minha conta bancária para pagar minhas despesas básicas pra sobreviver neste mundo de três ou quatro mal traçadas linhas... 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!